Portal dedicado ao Espaghetti Western

Letras-Lyrics-Song-Sung-Espaghetti Western-História-Músicas-Entrevistas-Curiosidades-Pesquisa-Opinião-Atores Brasileiros no Espaghetti Western-Atualidades-Homenagens-Resenhas-Sinópses-Subtitles-Legendas-Filmes.

17 janeiro 2017

George Hilton em São Paulo, Brasil Janeiro de 2017




Um dos grandes protagonistas de gêneros populares do cinema italiano, como o Espaghetti Western, Gialli e Poliziotteschi, o ator George Hilton esteve em Sorocaba neste mes e, com muita simpatia e atenção, atendeu fãs por onde passou.

O ator está no Brasil para uma homenagem que acontece na próxima terça-feira, dia 17, na Cinemateca do MAM, no Rio de Janeiro, onde será exibido um de seus filmes: “O estranho vício da senhora Wardh”, de 1971. Ele também irá participar das gravações do documentário George Hilton, uma viagem pelo cinema popular italiano, de Daniel Camargo.

Na terça-feira, dia 10, ao lado do primo Pablo De Arteaga Hill, o ator foi cortar o cabelo no salão masculino Maria Ikeda. Na quarta-feira, participou de um jantar no La Doc.

Nascido no Uruguai, em 1934, e morando na Itália desde 1964, Hilton faz parte de um seleto grupo de uruguaios que conquistaram o mundo. Os filmes que participou até hoje são grande influência em cinematografias do mundo inteiro e são referências para ícones do cinema, como Quentin Tarantino.

Entre os mais de 60 filmes que gravou, Hilton elege apenas quatro preferidos: “Tempo de Massacre” ao lado de Franco Nero, “A cauda do escorpião”, “Os quatro malvados” e “Meu caro assassino”. "Foram os que mais gostei de ter trabalhado, os mais importantes para mim": disse.

Em uma conversa agradável e sem pressa no bar e espaço gourmet que existe na parte interna do Maria Ikeda Masculino, Hilton recordou os colegas com quem trabalhou entre as décadas de 60 e 80, as curiosidades dos sets na época e, claro as musas do cinema italiano e mundial, como Sophia Loren, Gina Lollobrigida e Lea Massari. "Mas, para mim, as duas mulheres mais bonitas de toda a história do cinema foram, sem dúvida, Ava Gardner e Marilyn Monroe", disse.

Sobre os diretores que gostaria de ter trabalhado, Hilton listou Mario Monicelli e Michelangelo Antonioni, com quem quase dividiu os sets de filmagem, por ter sido sondado para protagonizar o filme Profissão: repórter - e que acabou perdendo o papel para Jack Nicholson. "Antonioni quis conversar comigo depois de Tempo de massacre, mas os norte-americanos acabaram escolhendo Jack Nicholson pela fama que ele já tinha", contou.
A frustração seria maior se o papel disputado tivesse sido o de Marlon Brando, no polêmico "O último tango em Paris", de 1972. "Com certeza, se tem algum papel que eu gostaria de ter feito seria o de Marlon Brando, que, para mim, é o melhor ator de todos os tempos", disse.

Até hoje, o filme suscita discussões polêmicas devido às cenas de sexo. Inclusive, no final do ano passado, vários veículos de imprensa norte-americanos divulgaram uma entrevista do diretor Bernardo Bertolucci admitindo que houve estupro real em uma cena não combinada com a atriz Maria Schneider. "Lamento muito. Ela era uma mulher única, minha amiga. É uma pena que tenha morrido tão nova, aos 58 anos", disse Hilton.

George Hilton disse que ainda tem muito para contribuir com o cinema europeu.
Fã de O cangaceiro e de Sônia Braga no cinema brasileiro, George Hilton disse que ainda tem muito para contribuir com o cinema europeu, e adiantou que está envolvido em um projeto que irá reunir os grandes nomes do Espaghetti Western do passado, com os novos atores do cinema italiano.
"Queremos fazer um grande filme, como antigamente", finalizou.


Compilação do site: http://www.jornalcruzeiro.com.br/materia/757729

Os filmes que o ator participou são influência em cinematografias.

Filmogrfia Selecionada

·  Alto Parana (1958)
·  Two Mafiosi Against Goldfinger (1965) (as "007")
·  Two Sons of Ringo (1966)
·  Massacre Time (1966)
·  Any Gun Can Play (1967)
·  Il tempo degli avvoltoi (1967)
·  Halleluja for Django (1967)
·  Poker with Pistols (1967)
·  The Moment To Kill (1968)
·  Trusting Is Good... Shooting Is Better (1968)
·  A Bullet for Sandoval (1968)
·  The Ruthless Four (1968)
·  The Sweet Body of Deborah (1968)
·  Salt in the Wound (1969)
·  The Battle of El Alamein (1969)
·  Sartana's Here... Trade Your Pistol for a Coffin (1970)
·  Testa t'ammazzo, croce... sei morto. Mi chiamano Alleluja (1971)
·  The Strange Vice of Mrs. Wardh (1971)
·  The Case of the Scorpion's Tail (1971)
·  The Case of the Bloody Iris (1971)
·  All the Colors of the Dark (1972)
·  My Dear Killer (1972)
·  The Devil Has Seven Faces (1972)
·  The Two Faces of Fear (1972)
·  Il West ti va stretto, amico... e arrivato Alleluja (1972)
·  Seven Hours of Violence (1973)
·  Man Called Invincible (1973)
·  Holy God, Here Comes the Passatore! (1973)
·  The Killer Must Kill Again (1975)
·  Mark of Zorro (1976)
·  Double Game (1977)
·  El Macho (1977)
·  Taxi Girl (1977)
·  Sweetly You'll Die Through Love (1977)
·  Blazing Flowers (1978)
·  Don't Play with Tigers (1982)
·  The Secret Nights of Lucrezia Borgia (1982)
·  The Atlantis Interceptors (1983)
·  Dinner with a Vampire (TV movie, 1988)
·  College (TV Series, 1990)

03 janeiro 2017

George Hilton no Brasil, Rio de Janeiro em 17 de Janeiro de 2017.


O ator George Hilton estará participando e prestigiando a exibição na mostra de cinema no MAM, Museu de Arte Moderna na Cinemateca do Rio de Janeiro no dia 17 de Janeiro de 2017.

Acontecerá numa terça-feira às 19 horas. O evento será gravado para o documentário de título "George Hilton - Uma Viagem Pelo Cinema Popular Italiano".
O endereço é: Avenida Infante Dom Henrique 85 - Parque do Flamengo - Glória - Rio de Janeiro - Brasil. Código de endereçamento postal do museu é 20021-140.
Telefone: (21) 2240-4944.


George Hilton convidou via Facebook aos meus amigos brasileiros que possam ir à projeção, e disse que será um prazer cumprimentá-los pessoalmente no evento.

O filme a ser exibido será um clássico do Giallo [Thriller de mistério]. "Lo Strano Vizio Della Signora Wardh", com produção ítalo-espanhola em 1971 de sucesso internacional daquela década.

 Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - Brasil

Lâmina Assassina - Brasil O Estranho Vício da Senhora Ward - Brasil
Uma Faca na Escuridão - Brasil
Lo Strano Vizio Della Signora Wardh - Itália
La Perversa Señora Ward - Espanha
Blade Of The Ripper - USA
The Next Victim! - USA
The Strange Vice Of Mrs. Wardh - USA [Dvd]
Der Killer Von Wien - Alemanha

Produção: Itália e Espanha
Direção: Sergio Martino
Roteiro: Vittorio Caronia, Ernesto Gastaldi e Eduardo Manzano Brochero
Duração: 98 minutos
Co Produção: Copercines, Cooperativa Cinematográfica, Devon Film, Laurie International, MLR Distribuidora: Gemini-Maron


  Sala de Exibição da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - Brasil 

Elenco: 
George Hilton - George Corro 
Edwige Fenech - Julie Wardh 
Conchita Airoldi - Carol Brandt
Manuel Gil - Dr. Harbe 
Carlo Alighiero - Comissário 
Ivan Rassimov - Jean 
Alberto de Mendoza - Neil Wardh 
Bruno Corazzari - assassino Marella Corbi - Vitima que escapa do assassino 


Um excelente thriller de mistério [Giallo] também conhecido no Brasil como "Lâmina Assassina", o filme oferece ao seu espectador tudo o que promete em sua premissa: pessoas ordinárias fazendo coisas terríveis umas as outras, um enredo repleto de reviravoltas, assassinatos brutais, uma forte dose de sexo bizarro, masoquismo e adultério oriundo de personagens problemáticos.

Martino mantém o roteiro escrito por três mestres no assunto: Vittorio Caronia, Ernesto Gastaldi e Eduardo Manzano Brochero, em intenso clima de interesse, sempre estilizado ao extremo, recurso proveniente da tal escola italiana de fazer filmes, sempre se importando com cenários, fotografias, construção de cenas e trilha sonora.


Mais um exemplo da egotrip psicodélica, toxicomania e libidinosa que foi a década de setenta. 
O Giallo – subgênero cinematográfico que carregou o cinema da época de uma forte e quase psicodélica orgia de imagens hipercoloridas que era feito por autores que pouco se preocupavam em algum tipo de “responsabilidade” de produzir imagens. Daí, assim como o cinema exploitation, os filmes eram amorais e este é um dos que se destaca nessa linha e George Hilton tem sua participação em meio a toda essa perversão intensa. 

 VHS comercializada no Brasil anos 80

Julie Wardh, de volta a Viena com seu marido diplomata Neil, encontra a cidade aterrorizada por um maníaco assassino. Imediatamente se lembra de Jean, seu violento e sádico ex-namorado, que convenientemente voltou a cidade ao mesmo tempo do início dos assassínios e retomando o contato com ela, parece querer reatar o romance.

Também entra em cena o enigmático e elegante George que também demonstra seus interesses em relação a Julie. Assim, acompanhando os passos do assassino, Julie deve descobrir quem, entre os homens a sua volta, tem intenções mais nefastas que apenas leva-la para cama.



Versão com áudio italiano disponível no Youtube

28 dezembro 2016

Ódio Destruidor/The Young Land Letra/Lyric

Ódio Destruidor - Brasil
The Young Land - USA
Terra Brutal - Espanha
Ebrio De Odio - Argentina/México
Nuori Maa - Finlândia
Californie Terre Nouvelle - França
Là Dove Il Sole Brucia - Itália
Mlada Zemlja - Sérvia
Landet Utan Lag - Suécia
Land Ohne Gesetz - Alemanha

"Strange Are the Ways of Love"
(Concorreu ao Oscar em 1959)
Música de Dimitri Tiomkin
Letra: Ned Washington, Gogi Grant
Intérprete: Randy Sparks

"Strange Are The Ways Of Love"

A rainbow colors
The autumn sky
So overpowering
You want to cry
Yet no one sees it
But you and I
Strange are the ways of love

The sunlight kisses
A grain of sand
Those who are lonely
Don't understand
They say it's nothing
We say it's grand
Strange are the ways of love

The hand of fate
Was long overdue
Yet we were worlds apart
I never dreamed of being with you
Now we're heart to heart

This is a young land
And young are we
We know how tender
Young love can be
But in my rapture
It seems to me
Strange are the ways of love
Strange are the ways of love

"Tradução Português Brasil"

As Cores do arco-íris.O céu do outono.
Tão avassalador.
Você quer chorar.
No entanto, ninguém o vê.
Mas você e eu...
Estranhos são os caminhos do amor.

Os beijos da luz solar.
Um grão de areia.
Aqueles que estão sozinhos.
Não entendo.
Eles dizem
que não é nada.
Nós dizemos que é grandioso.
Estranhos são os caminhos do amor.

A mão do destino
estava muito atrasada.
Mas nós éramos mundos separados.
Eu nunca sonhei em estar com você.
Agora estamos de coração para coração.

Esta é uma terra jovem.
E jovens somos nós.
Sabemos como
o amor jovem pode ser.
Mas no meu arrebatamento,
parece para mim.
Estranhos são os caminhos do amor.
Estranhos são os caminhos do amor.

The Young Land (Ódio Destruidor) [1959] Subtitle/Legenda Português ptbr.str Exclusiva



Ódio Destruidor - Brasil
The Young Land - Usa
Terra Brutal - Espanha
Ebrio De Odio - Argentina/México
Nuori Maa - Finlândia
Californie Terre Nouvelle - França
Là Dove Il Sole Brucia - Itália
Mlada Zemlja - Sérvia
Landet Utan Lag - Suécia
Land Ohne Gesetz - Alemanha

Produção: EUA/México 01 Maio de 1959
Direção: Ted Tetzlaff
Escrito: Norman S. Hall, John Reese
(baseado na história "Frontier Frenzy")
Duração: 89 Minutos
Locações: México
Co Produção: C.V. Whitney Pictures
Música: "Strange Are The Ways Of Love"
Concorreu Ao Oscar Naquele Ano.
Música De Dimitri Tiomkin
Letra: Ned Washington
Intérprete: Randy Sparks


Patrick Wayne - Xerife Jim Ellison
Yvonne Craig - Elena de La Madrid
Dennis Hopper - Hatfield Carnes
Dan O'Herlihy - Juiz Millard Isham
Roberto De La Madrid - Don Roberto de La Madrid
Cliff Ketchum - Delegado Estadual Ben Stroud
Ken Curtis - Lee Hearn
Pedro Gonzalez - Autoridade Local/Santiago
Ed Sweeny - Sully/Kelly
John Quijada - Vaquero
Miguel Camacho - Miguel
Tom Tiner - Charlie Higgins/Jurado
Carlos Romero - Francisco Quiroga
The Mariachis Los Reyes De Chapala - Mariachis


O diretor Ted Tetzlaff coloca sua ação em 1848 no Velho Oeste no estado recém-nascido da Califórnia, especificamente em um vilarejo fronteirista conhecido como San Bartolo.
O sistema judiciário aplica leis baseando-se numa questão puramente racial: aqueles que são americanos nativos têm privilégios sobre os de origem mexicana.
Tudo é evidentemente negado, até que o tribunal se vê diante de um grande teste que mudará o país.

Hatfield Carnes (Dennis Hopper) é americano nativo e está sendo acusado de assassinar um mexicano e está sendo julgado por homicídio como réu. A população de origem mexicana agora pressiona o governo e está atenta para saber se o julgamento será justo e se a justiça é realmente cega do ponto de vista étnico.


"The Young Land", literalmente traduzido em português como "A Terra Jovem" tem seu título mudado no Brasil para "Ódio Destruidor" o que não vem muito ao caso.
Não é um filme de vingança ou ódio e sim narra-se um caso de justiça sob uma mesma Constituição supostamente elaborada e legislada igual para todos.

Aqui este julgamento mostrará se o sistema usado para os mexicanos será usado para o criminoso americano, Portanto, tem uma grande repercussão na região e a situação fica fervente enquanto não se tem um veredicto. Com os esforços de um juiz estadual Millard Isham (Dan O'Herlihy), vindo de Washington, organiza o seu tribunal para o julgamento adequado dentro de um celeiro de ovinos.


Sendo particularmente estranho, pois o juiz não está acostumado a tais rudimentares tribunais improvisados. Sabe-se que para este filme foi utilizado um orçamento generoso e o diretor de arte Jack Okey criou uma vila mexicana, incluindo uma praça, Cantina, prisão e outros edifícios, e o diretor Tetzlaff, soube criar situações que o telespectador gosta de ver como os tiroteios e lutas de rua.

Um filme com Hooper ainda jovem, que já mostrava seu talento através de sua performance e das fortes presenças dos atores: O'Herlihy, Ben Stroud, e Ken Curtis como um fugitivo da justiça americana convertido em um ajudante de xerife. Sobre o romance, aqui só uma leve presença feminina, Yvonne Craig que fica em segundo plano e de pouca importância no roteiro.


O conhecimento e a refelexão sobre os direitos e as funções de cada um dentro do tribunal quando surgia nos Estados Unidos da América. A música "Strange Are the Ways of Love" de Dimitri Tomkin concorreu ao Oscar naquele ano.

Aqui o ainda jovem ator Pastrick Wyane aos 18 anos de idade é o bravo xerife local que não usa arma em sua função. Belas baladas mexicanas e lembra bem um Espagehtti Western. É mais uma Subtitle/Legenda exclusiva que disponibilizo aqui incluindo a tradução da letra da bela canção tema deste filme.


”Subtitle/Legenda Exclusiva Ptbr.str. Download”